Oficinas

O Projeto Revoluções é uma realização do Instituto de Tecnologia Social - ITS BRASIL, da Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República, do SESC-SP e da Boitempo Editorial.


Oficina com Klemens Gruber

Mídia e Revolução: culturas da vanguarda

Como Jogar com a Televisão: a poética de Alexander Kluge para a TV

22 e 24 de maio

das 10h00 às 18h00

mais informações no link:

http://revolucoes.org.br/v1/oficina/klemens-gruber

 

sobre as inscrições:

50 vagas. Inscrições na Sala de Leitura, 2º andar, de 3 a 18/5, de terça a sexta, das 2h às 21h, sábado e domingo, das 11h às 18h, pessoalmente mediante a entrega de carta de intenção.
Não recomendado para menores de 16 anos
Grátis. 22/05, 24/05. Domingo e terça, das 10h às 18h.
Sala de Atividades, 3º andar.
SESC Pinheiros - R. Paes Leme, 195


Sinopse Geral: tendo como tema principal a obra de Alexander Kluge, esta oficina examina o papel central desempenhado pela então nova mídia na emergência das culturas de vanguarda nos anos 1910 e 1920. Ela considera relações entre cinema e teatro, pintura, fotografia, rádio, arquitetura, tipografia e publicidade. A questão principal colocada pelos artistas de vanguarda era “Quando a tecnologia gera valores estéticos?” Eles exploravam como as funções artísticas emergiam através do uso de meios tecnológicos. Os temas seguintes estrutu ram a oficina: o artesanal e o produzido à máquina; o objeto em revolta; a vanguarda e as massas; a encenação do aparato; tecnologia e os sentidos; interrupção como procedimento; “a imagem como tal”; política e utilitarismo; exuberância analítica. Nós observaremos diretores e artistas como Kazimir Malevich, Vsevolod Meyerhold, Lyiubov Popova, Dziga Vertov, Gustav Klutsis e outros, e examinaremos textos teóricos dos Formalistas Russos, Walter Benjamin e László Moholy-Nagy, entre outros. Com Klemens Gruber, nascido em 1955, na cidade de Ried im Innkreis, na Áustria. É professor do Departamento de Teatro, Cinema e Estudos de Mídia na Universidade de Viena. Estudou na Itália por vários anos. Co-fundador da sociedade de trans-mídia Daedalus, tem publicações sobre a cultura da vanguarda, Dziga Vertov, Alexander Kluge e formalismo digital. Sua publicação mais recente é Die zerstreute Avantgarde (“A Vanguarda Dispersa”), de 2010. É diretor editorial do periódico Maske & Kothurn. O tema de seu projeto de pesquisa atual, realizado com a Universidade de Nova York, é: “Questões de Textura - A ótica e o háptico na mídia”.